O PECADO E A PIZZARIA

A palavra pecado hoje em dia evoca diversas significações. Eu, por exemplo, a um tempo atrás, acreditava que pecado era uma ofensa a Deus. Na verdade é.  Mas  essa  noção de pecado acaba por reduzi-lo à desobediência de certas regras impostas por  Deus, as quais, caso  não cumpridas,  o problema é de Deus. Somos  tentados então a pensar que, pelo menos quanto à nos, é indiferente pecar ou não.  Assim chegamos a esta infeliz conclusão:-”  esquecendo esse lance de pecado,  nos tornamos mais livres e felizes, pois desencanar  é  alforriar a consciência das amarras de Deus”.  Ledo e triste engano esse.

Por isso prefiro uma outra definição, entendendo o pecado como o desvio à ordem natural das coisas. Natureza aqui entendida como a finalidade para a qual a cada coisa foi criada. A essência da coisa, em termos filosóficos. Vamos supor uma pizzaria. Esta pizzaria foi criada para fabricar e vender pizzas tendo em vista um lucro qualquer. Cada funcionário tem um propósito específico. Há o chamado pizzaoilo, que prepara a pizza. Tem o garçom, cuja função é atender ao pedido e servir o cliente. Há o motoboy, que entrega a pizza a tempo às residencias, bem como o funcionário do caixa, que deve cobrar com exatidão.

Fazendo uma analogia, o pecado de cada funcionário da pizzaria seria o de falhar em cada uma das tarefas descritas, indo de encontro à finalidade para a qual foi contratado. O  motoqueiro que entregou a pizza com atraso, por exemplo.

Transportando o exemplo da pizzaria( relação pizzaria e funcionário) para a Igreja de Deus ( relação Deus e o homem), pecamos quando vamos contra à ordem natural pensada e querida por Deus. Ir contra a nossa natureza(propósito) não prejudica a Deus, e sim a nós mesmos. Tendo certeza de que o mais prejudicado ao entregar a  pizza com atrasos reiterados será o próprio motoqueiro, e não o dono da pizzaria.  Deus nos fez para amá-Lo e louvá-Lo, e a maneira mais perfeita de amá-Lo é amando nosso próximo como a nós mesmos. Também podemos amar a Deus contemplando a beleza da Sua criação. O amor não é um mandamento, é o nosso ser. Nossa essência é o amor. Quando amamos somos felizes, quando não amamos somos infelizes. Pecar não é simplesmente uma insubordinação  a uma série de prescrições divinas, pecar é não atender àquilo para o qual fomos criados: o amor.

  Há pecados veniais e pecados mortais.

Para entender melhor essa distinção, recorrerei mais uma vez à analogia da pizzaria.

O motoqueiro não sera mandado embora se entregar a pizza de cara feia. Com efeito, faz parte do trabalho dele tratar o cliente com simpatia. Contudo, mesmo tratando mal o cliente, sua tarefa principal, que é fazer a entrega no tempo devido, foi cumprida com êxito. Ao contrário, se desferisse um soco no cliente na hora da entrega, seu ato destoaria totalmente de sua tarefa principal . Entregar a pizza de mau humor é pecado venial. Agredir o cliente é pecado mortal.

Pecado mortal é aquele que vai  diretamente contra a ordem estabelecida por Deus( não cumprir  os 10 mandamentos, por exemplo.) Pecado venial são aqueles que, embora destoem da ordem natural, não acarreta na perda da amizade com Deus.No caso do entregador de pizza, não gera a demissão por justa causa.

Espero que tenham entendido um pouco mais sobre o conceito de pecado.

Bom sábado a todos. Fique com Deus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s