MINHA CAÇA ALCANCEI

de São João da Cruz


Num lance de amor voei,
e não de esperança falto,
subi tão alto, tão alto
que minha caça alcancei.

Para que eu alcance desse
a esse lance, no entanto,
foi preciso voar tanto
que de vista me perdesse.
Mas mesmo assim deparei
no voo quedar-me falto:
o amor porém foi tão alto
que minha caça alcancei.

Quanto mais subia
ofuscava-se-me a vista,
e quão maior a conquista
mais escuro se fazia;
mas sendo do amor a lei,
dei um cego e obscuro salto,
e fui tão alto, tão alto,
que minha caça alcancei.

Quanto mais alto chegava
nesse lance tão subido,
tanto mais baixo e rendido
e abatido me encontrava.
“Ninguém alcança!” exclamei;
e abati-me tanto, tanto,
que fui tão alto, tão alto,
minha caça alcancei

Num único(que estranho era!)
mil voos a minh'alma avança,
porque do céu a esperança
tanto alcança quanto espera;
só por tal lance esperei
e em esperar não fui falto
pois fui tão alto, tão alto,
que minha caça alcancei.

(tradução de D. Marcos Barbosa)

2 comentários em “MINHA CAÇA ALCANCEI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s